sexta-feira, 10 de junho de 2011

Desafio da Taça

Nosso amigo peso pena do blog Diplomática da Copa passou um desafio que pode ser conferido aqui.

E agora está abaixo nossa humilde resposta da Taça, que teve uma replica e depois foi rouba e perdia e criada outra réplica. Enfim, que confusão causou essa Taça da Copa ... HUN!


1 – Dizem que a taça foi roubada por um argentino e três brasileiros... bem, quando eles se juntam só podia dar nisso mesmo. Mas Enfim, considerando o sumiço da taça, tanto na primeira vez, quanto na segunda, pode-se dizer que as réplicas são autênticas


Diante dos conceitos de autenticidade de Durant, relatamos o seguinte:

Dentre seus conceitos Duranti considera um documento autêntico “aquele que possui todos os requisitos para provar-lhe que é”, estabelecemos que diante disto, se a taça possui todos os requisitos (suporte, gênero, sinais de validação e signos específicos) para considerá-lo como uma Taça Jules Rimet, certamente ela será autêntica. Porém a sua forma que se especificará em cópia.
Durant exemplifica e explica que apesar de certos documentos possuírem uma cópia não se retira a sua função de unicidade, por qual não a desvalidará como um documento orgânico. A cópia é realizada por causa de que um documento só pode realizar outras funções, ou necessidade de outras vias para pessoas e produtores diferentes.
Vimos que a realização da primeira réplica era para substituir a Taça, como forma de preservação, e na hora dos eventos, visitação ela desempenhava a função de substituta da taça naquele dado momento. Já na Segunda vez, pensamos que ocorre o mesmo. Pela perda da taça, foi produzida a réplica para desempenhar a função da taça como sendo sua substituta.
Finalizando então, apesar de não ser a taça original, esta réplica é autêntica e desempenha uma função especifica que a substitui. Pode-se considerar até o exemplo do professor André Ancona que diz que você tendo uma pequena copia autenticada de sua identidade, apesar de você não a possui a identidade em si, esta copia realizara algumas funções desta, a substituindo. Sendo legalmente, diplomaticamente e historicamente autentica mesmo sendo uma cópia.

2 - as réplicas das taças, de acordo com Duranti, são cópias imitativas ou cópias simples, no primeiro desaparecimento da taça? Credito a tutora Adrielly, por essa pergunta.

Durant define uma cópia como “uma transcrição duplicada de um original escrito”., Uma copia imitativa é aquela que “reproduz completo ou parcialmente o conteúdo mas também as formas, incluindo externas (disposição do texto, escritura, signos especiais, suporte e outros) do original. Um exemplo moderno é a fotocopia. Ela também relata que não é produzida para enganar, e que o original deve ser especificado.
Agora o conceito de pseudo-original é justamente que copia todos os itens, tanto interna como externamente, e que tal, têm-se a intenção de enganar. Duranti relata o exemplo de um convite para um evento que foi falsificada. A pessoa não foi convidada e o documento era legal  e diplomaticamente falso, e se conseguisse entrar no evento poderia ser historicamente genuíno.
Dentre os conceitos elaborados, o consideramos como uma copia imitativa, ela contêm a representação praticamente perfeita, porém na réplica é realizada pela perda, não possuindo intenção de enganar e sim de a substituir. Foi produzida autenticada como réplica pela FIFA ( possivelmente, não sabemos ao certo). Concluímos que esta seria considerada uma cópia imitativa, também que tal copia seria “autenticada” pela FIFA, que a substitui em lembrança de outra determinada, e autorizada para tal ato, se estabelecendo legalmente, diplomaticamente e historicamente autentica e também dentre o conceito de copia que Duranti estabelece.

3 - Supondo, que no primeiro sumiço da taça, Segunda Guerra Mundial, os soldados nazistas conseguiram ficar com a mesma. Logo entregaram Para Adolf Hitler. Estabeleça um plano de classificação.

Para a propositura desta classificação consideraremos duas possibilidades de fundo:

I – Fundo: Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores
        Função: Expansionismo Alemão
                Subfunção: Dominação de povos e territórios
                        Atividade: Incorporação de Bens
·        Bens Móveis à TAÇA

II – Fundo Pessoal Adolf Hitler
                Grupo: Vida Profissional
                        Subgrupo: Liderança do PNSAT
                                Série: Recordações
                                       Subséries:
o   Homenagens, Condecorações
o   Diplomas
o   Presentes à TAÇA
                 

4 - Considerando o segundo sumiço (definitivo dessa vez), suponha que a taça tenha caído nas maos do então presidente do brasil - Jão Figuereido. como seria o plano de classificação?

Para a propositura desta classificação consideraremos duas possibilidades de fundo:

I – Fundo: Presidência da República do Brasil
        Grupo: Memória dos Presidentes
                 Subgrupo: João Figueiredo
                        Série: Patrimônio Material
·        Bens Móveis à TAÇA

II – Fundo Pessoal João Figueiredo
                Grupo: Vida Profissional
                        Subgrupo: Presidência da República
                                Série: Recordações
                                       Subséries:
o   Presentes à TAÇA

5. Faça uma análise diplomática e tipológica da taça.

Denominação do documento: Taça Jules Rimet
Espécie: Troféu; Taça
Gênero: especial
Suporte:
Metal
Formato:
Troféu
Forma: Cópia
Signos especiais:  Design único.
Denominação tipológica: Troféu para provar colocação
Entidade Produtora: FIFA
Entidade Receptora: País vencedor da Copa do Mundo
Função Administrativa: Denotar e representar por meio deste, o vencedor das etapas realizadas no campeonato mundial de futebol realizado de 4 em 4 anos.
Função Arquivística: Provar que o ganhador, recebeu e ganhou este item como marco de sua vitoria
Trâmite: Produção da copia, autenticação dada pela FIFA, entrega a CBF.

6. Comente se a referente taça pode ser considerada documento de arquivo.
 Para considerar a taça Jules Rimet como um documento de arquivo, ele necessita de certas características, a primeira é de caráter orgânico, para um arquivo da FIFA poderia ser considerado, mas a taça em si não ficaria no arquivo, e sim os documentos referentes ao projeto de criação e design da taça. Desta forma é dispensável a taça em si como um documento arquivístico, ela pode ser utilizada para fins de coleção de taças ou de com fins museológicos. Para um fundo pessoal como de Adolf Hitler ou a de João Figueiredo poderia ser utilizado como um documento arquivístico como parte da carreira política ou como fim de recordação.

Postado por: Arquivo em Forma

Artigos Relacionados

1 comentários:

DIPLOMÁTICA DA COPA disse...

Uau. Bem completo o post de vocês. Interessante terem feito dois planos de classificação,no segundo caso. Comparando o post de vocês com outros, percebi que preferiram utilizar uma subsérie, que acho que é mais adequado, do que subgrupo. Não há muito o que acrescentar, a resolução de vocês está bem completa. Parabéns
ps: ainda bem que não oferecemos prêmios.

14 de junho de 2011 19:21

Postar um comentário

Frequentadores